quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

DIÁRIO DE UM VIAJANTE (II)

Caros, estive na fazenda Nova Gokula, um dos lugares mais lindos que conheço, com Regina e Iúri. Foram dias memoráveis, com caminhadas na mata, meditação no templo, comida natural, banhos de rio, treinos de Tai chi e uma paz que há muito tempo não sentia. Iúri adorou os pavões, teve medo das vacas e brincou de arqueólogo, investigando as marcas de limo que cobriam supostas inscrições em grandes pedras dispostas próximas ao rio. Regina e eu já pensamos várias vezes em mandar a “civilização” às favas para morarmos num local remoto, onde teríamos a visão permanente de montes, lagos e neblinas, em vez prédios de escritórios, carros, anúncios de sabonete e outros horrores do mundo capitalista. Há poucas coisas que me prendem em São Paulo: o mestrado (e depois o doutorado) na USP, a direção da Casa das Rosas, as aulas de Tai chi e Aikidô, a escola de Iúri... porém, como ensinam os sábios taoístas, tudo é mutável e temporário; um dia, estarei livre de tantos compromissos, aí pegarei Regina, Iúri e Tom (nosso gato siamês) e iremos morar bem longe, em algum lugar fora do mapa. Este não é apenas um sonho vago, mas um calculado projeto de futuro. Mais do que isso: um projeto de VIDA.

P.S.: confiram abaixo dois poemas de Han-Shan!

2 comentários:

  1. reginabhen, tiuise ou regina31.12.08

    realmente, foram quatro dias de puro deleite – com direito à paisagem paradisíaca, riachos, boa comida, ótima hospitalidade por parte dos devotos, boas acomodações...

    neste pequeno espaço de tempo fomos muito felizes – Iú e você fizeram expedições, tomaram banho no riacho, andaram bastante pela fazenda... eu estive mais para “contemplativa”: ao chegar tive uma crise no nervo ciático que limitou (e muito!) meus movimentos... mas nada terrível...

    todas as noites brincávamos e ríamos a valer... íamos dormir sempre tarde... Iú amou o lugar, o que me deixou superfeliz... de inusitado, só os meus dois tombos homéricos – um de madrugada no banheiro e outro de manhã ao voltarmos do restaurante... em minha mala foi um livro sobre budismo tibetano (quero me dedicar mais ao Budismo)...

    sendo assim, amor, algum dia eu, você, Iú, Tom & Cicatriz (nosso peixe) iremos para bem longe, em algum lugar único, nosso, e bem longe da chamada civilização.

    tiu

    ResponderExcluir
  2. Bom 2009. Respeito muito o seu trabalho. Tomara, num incerto momento certo, que se realize o sonho antigo.
    - Pimenta

    ResponderExcluir