quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

ISRAEL USOU FÓSFORO BRANCO EM ATAQUE EM GAZA, DIZ ONU

Porta-vozes da Agência de Ajuda aos Refugiados Palestinos (UNWRA, na sigla em inglês), da ONU, disseram nesta quinta-feira que o fósforo branco foi aparentemente usado em um ataque atribuído a Israel contra um conjunto de instalações da agência na Faixa de Gaza. O fósforo branco é uma substância incendiária cujo uso em armas é proibido por leis internacionais.


Israel já negou veementemente a acusação de usar o composto para fins bélicos. Um porta-voz, Chris Gunness, disse à BBC que as chamas provocadas pelo bombardeio são difíceis de apagar e ainda ameaçam as cerca de 700 pessoas que estão abrigadas no complexo da agência. "Nós não podemos usar extintores convencionais, porque acreditamos que há fósforo branco. Você só consegue apagar fósforo branco com areia e nós não temos areia em quantidade suficiente para fazer isso." "Setecentas pessoas estão lá. Não há nenhum lugar seguro para elas irem. Não podemos evacuá-los porque há confrontos do lado de fora", afirmou. A bomba com fósforo branco é lançada por aviões e interage quimicamente com o oxigênio, se incendiando e liberando uma fumaça branca.

(...)

Em Tel Aviv, após se reunir com representantes do governo israelense, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se disse revoltado com o ataque contra o prédio da sede da UNWRA. Ban disse que ouviu do ministro da Defesa de Israel, Ehud Barak, que o bombardeio foi um "erro grave". Por outro lado, o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, disse que o complexo foi atacado depois de militantes palestinos realizarem um ataque a partir do local. Tal afirmação não pôde ser verificada de forma independente.

3 comentários:

  1. Não é a primeira vez que Israel mata civis árabes com bombas de fósforo branco: quando invadiu o Líbano, numa guerra que destruiu a infra-estrutura desse país, as forças israelenses usaram esse mesmo armamento, proibido por leis internacionais, sob a alegação de que o fósforo branco era utilizado apenas para "iluminar" o campo de batalha...

    ResponderExcluir
  2. Anônimo16.1.09

    CD, realmente Israel, com a chancela dos EUA, manda e desmanda no Oriente Médio... Mata inocentes, destrói (ainda estou na ortografia antiga) hospitais, centros de imprensa, escolas, etc e bombardeia com fósforo branco: assumiu há tempos uma atitude genocida... Não respeita ninguém: ONU ou quem quer que seja... Aquele artigo do Boaventura de Souza Santos (Réquiem por Israel?) foi um dos melhores sobre a questão atual, que tem as suas raízes nefastas no passado... Vamos ser sinceros: Israel é uma farça histórica, com o aval dos EUA e várias nações após a Segunda Guerra Mundial... O meu respeito e a admiração pela resistência e o reconhecimento da causa palestina... Abs do Josealoisebahiabhzmg...

    ResponderExcluir
  3. Caro Aloise, tenho profundo respeito pelo povo judeu e sua história, e ao mesmo tempo profunda divergência com a política do Estado de Israel, racista, militarista e expansionista. Meu sonho é que em algum futuro haja uma só Palestina livre, onde judeus, muçulmanos e cristãos vivam juntos com igualdade, tolerância e respeito, num regime democrático e pluralista. Utopia? Talvez. Mas quem sabe um dia a sociedade civil israelense dará um basta a seus políticos truculentos e dará as mãos a seus vizinhos, para a construção de outro mundo possível... é o meu sonho... abraço,

    CD

    ResponderExcluir