domingo, 19 de julho de 2009

UM POEMA DE FRANCISCO DOS SANTOS

AO FIM DE UM INIMIGO

um grito rompeu
todas as veias
um soluço ocluso
glotal
sonoro
(se desfez o que era fôlego)
encolhido na promessa da asa
o não morto
em tempo hábil
(a morte como uma grande boca com dentes de ouro)
e quanta tristeza naquele olho que chora

(Poema do A imagem sem centro -- brevíssima de poesia, de Francisco dos Santos. Florianópolis: Editora da Casa, 2009)

Um comentário:

  1. Admiro tanta síntese permeada por metáforas.

    Parabéns!

    ResponderExcluir