domingo, 15 de abril de 2018

MATINTA PEREIRA















todas as flores
têm olhos

na noite funda
da mata

todas as flores
são luas

na noite funda
da mata

todas as flores
espiam

na noite funda
da mata...

— lá vem,
lá vem ela vindo!

todas as luas
são olhos

na noite funda
da mata

todas as flores
vigiam

na noite funda
da mata...

— lá vem,
lá vem ela vindo!

a velha-da-noite
negra-oh-negra!

coruja ou corvo
rasga-mortalha!

— cê viu, ouviu?
não viu, não ouviu?

seu assobio, fiu-
fiu-de pavor, sim,
fio-de-pavor!

— lá vem,
lá vem ela vindo!

arrulho-assobio
rompe-esterco
rompe-navalha!

— lá vem,
lá vem ela vindo,

dança-dançando
com uma só perna!

— lá vem,
lá vem ela vindo,

zomba-zombando
com uma só perna!

ela quer fumo
todos os fumos

fumo ou peixe
fumo ou café
fumo ou cachaça!

— lá vem,
lá vem ela vindo,

— cê viu, ouviu?
não viu, não ouviu?

seu assobio, fiu-
fiu-de pavor, sim,
fio-de-pavor!

arrulho-assobio
de medo-pavor!

manhã de amanhã
dê fumo a matinta

a velha-oh-velha
com asas de corvo

manhã de amanhã
dê fumo a matinta,
velha-treva-trevosa!

matita, dona coruja
gritos de gralha!

se ela disser:
“quem quer?”
“quem quer?”,

maninha,
nada responda!

se ela disser:
“quem quer?”
“quem quer?”

maninha,
nada responda!

“eu quero! eu quero!”
— disse a moça

“eu quero! eu quero!”
— disse a moça

antes de virar velha.

2018

Nenhum comentário:

Postar um comentário