segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

UM POEMA DE CÉLIA ABILA

RECADO, DO MUNDO, AO HÓSPEDE

— Ouve o grito dos mortos?
interrogo:

Covardia escondida em tanques
de sessenta e cinco toneladas,
lava roupa suja de sangue
em triste ensaio macabro.
Holocausto não calou inferno?
Pensamento atravessado de fausto,
encadeado em carnificina indecente
na espoliada Palestina;
herança de um povo abnegado
que tem incerta a paz das casas
de mulheres, crianças e velhos
na trilha pavorosa de intrigas.

Céu e inferno relembram
os laivos dos judeus em movimento
nacionalistas cínicos do horror;
sionismo arcaico à procura
de um cômodo segundo lar.

África, Chipre, Congo
Argentina! Tanto faz.
“Judeus nascidos na França
são franceses da mesma forma.”
O nome de Mahatma Gandhi
veio à tona em voz rouca.
Homens com ” duplo lar”,
onde vão lavar suas roupas?

Um comentário:

  1. Celso Vegro19.1.12

    Prezado Prof. Claudio Daniel
    Uma pérola produzida por uma de suas alunas. Parabéns ao grupo e ao mestre que nos orientou e estimulou.

    ResponderExcluir